__________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________

Em cada um de nós existe um poema .
Um por escrever ... um escrito que se quer procurado e se mantêm escondido na alma ... no coração.
Ser poeta ... não é escrever poemas.
É saber descobrir na poesia ... a parte que falta em si, a parte que falta ... nos outros .

Urbano Gonçalo




domingo, 12 de agosto de 2012

Era uma vez ... a fotografia

Luz, sombra, imaginação, eis a ... fotografia!

Quem conhece verdadeiramente a história que está por trás do famoso "click"?!!
Quem imagina ao tirar uma simples foto, tudo o que se passou até aí?!!

Ok! Vou contar um pouco dessa história!

A fotografia nasceu das tentativas feitas para aperfeiçoamento dos métodos de impressão sobre papel, dominados pelos chineses no século VI e só seiscentos anos depois difundidos na Europa.
Joseph Nicéphore Niépce, o inventor da fotografia em França por volta de 1826, e Hercule (não .. não é o Poirrot !!) Florance aprimoravam sistemas de impressão, quando tiveram a ideia "literalmente" luminosa de unir dois fenómenos conhecidos, um de natureza física outro de natureza química, e conhecidos posteriormente no mundo como a "câmara escura", que era na altura empregada pelos artistas desde o século XVI, e a caraterística fotossensível dos sais de prata, comprovada já então pelo alemão Johann Heinrich desde 1727.

Apesar de Niépce ter apresentado as primeiras imagens, o título de inventor da fotografia, ficou para o seu colega francês Louis-Jacques Daguerre, com quem trabalhara vários anos.
Em 7 de Janeiro de 1839, Daguerre apresentou na Academia Francesa de Ciência (Paris), a "sua" invenção - o daguerreótipo.
Esse aparelho era basicamente uma caixa preta, na qual era colocada uma chapa de cobre prateada e polida que, após ser exposta a vapores de iodo, formava uma camada de iodeto de prata. Essa placa era exposta à luz dentro de uma câmara escura entre 4 a 10 minutos. Depois, era revelada em vapor de mercúrio aquecido, que aderia ao material nas partes onde ele tinha sido exposto à luz, formando-se assim a ... imagem.
O golpe de sorte de Daguerre foi a descoberta inusitada do mercúrio como revelador, o que lhe permitiu reduzir em muito, o tempo de exposição à luz.
As histórias contam que isto aconteceu quando Daguerre guardou uma das placas que tinha estado pouco tempo exposta à luz, num armário onde ele também, tinha deixado um termómetro de mercúrio partido.
No dia seguinte, ele reparou que se tinha formado nessa placa uma imagem visível. No entanto a daguerreotipia exigia apesar de tudo longo tempo de pose (cerca de vinte a trinta minutos), o que era penoso no mínimo para quem queria ser retratado.
Só em 1842 com a descoberta da objetiva (Joseph Petzval) que era 16 vezes mais luminosa, se conseguiu baixar o tempo de pose para uns bem mais aceitáveis trinta segundos. A história (aventura) da fotografia, continuava a surpreender, quando o célebre Nadar (amigo do escritor Júlio Verne) realizou a proeza de tirar a primeira foto subterrânea, e quase de seguida Nadar fotografou Paris vista de 520 metros de altura a bordo do seu balão "Le Géant", o maior jamais construído até aos dias de hoje, sendo também ele o primeiro a usar a luz elétrica para iluminar o tema, quando realizou as suas fotografias subterrâneas.
Outras façanhas seriam difíceis de serem aceites sem provas concretas, como por exemplo o caso de Jonh Benjamim Dancer, que logrou fotografar através de um microscópio em 1839, dando desde então acesso à micrografia e ao microfilme posteriormente.

Outras proezas: Em 1847 registo de um relâmpago (Thomas Easterly), em 1851 primeira fotografia da lua (John Adams Whipple) 118 anos antes de Neil Armstrong e Edwin Aldrin pisarem o solo lunar, o próprio ADN mostrou-nos a sua forma (hélice) através de uma fotografia de raio X em 1953.
Ainda entre 1861 e 1865, Mathew Brady, Alexander Garner e Timothy O´Sullivan documentaram fotográficamente a guerra civil americana.

Reduzir o tamanho das máquinas era então o próximo passo, e em 1888 surgiu a ... Kodak com o seu slogan "Aperte o botão, nós fazemos o resto!".
Em 1924 a Ermanox mostrou ao mundo os primeiros negativos de vidro em formato pequeno, a Leica e o seu filme flexível de 35 milimetros abriu uma nova era para a fotografia, permitindo um outro tipo de máquinas que ainda hoje resistem ao passar do tempo, aproveitando-se do processo industrial de produção fotográfica a cores, que entretanto surgiu em 1907 (Autocrome Lumière).
Esse sistema usava (imaginem!) féculas de batata previamente tingidas (1/3 de vermelho, 1/3 de verde) cuidadosamente distribuídos sobre a placa de vidro, sendo o conceito amplamente difundido até 1932. A Kodacrome com três emulsões independentes seguiu-se, e em 1941 a Kodak introduzia o processo negativo-positivo na fotografia a cores com o Kodacolor. Seis anos depois o Ektacolor filme já podia ser processado pelo próprio fotógrafo, colocando assim a foto colorida ao alcance de qualquer pessoa.

Em 1947 a Polaroid criada por Edwin Land, inventou a fotografia instantânea, não mais parando a evolução. Seguiram-se as máquinas digitais, desenvolvidas por incrível que pareça durante a segunda guerra dos E.U.A.
As primeiras imagens digitais foram tiradas pela sonda Mariner 4, em 1965 e registaram para a posteridade a superfície de Marte. Foram feitas então 22 imagens a preto e branco com 0.04 megapixels, e demoraram elas quatro dias a chegar à Terra.
A primeira câmara totalmente digital foi a Fairchild ALL-Sky, e a primeira marca a comercializar este tipo de máquinas foi a Sony com a sua Mavica 0.3mega.
esta máquina era basicamente uma câmara de ... filmar, que "congelava" imagens, utilizando três CCDs responsáveis pela forma colorida das fotos.

Em 1984 durante os Jogos Olímpicos de L.A, a Canon utilizou o seu protótipo de vídeo estático em parceria com o jornal japonês Yomiuri Shimbum para transmitir via telefone dos E.U.A para o Japão.
As imagens demoravam meia hora a serem enviadas e fizeram com que aquele jornal desse um "banho" aos outros que mandavam as imagens por avião.

Muito fica por contar, muito ainda será contado, a aventura da fotografia ainda agora está a começar. Uma coisa é a cada dia que passa certa, ou ... mais certa,
uma imagem ... VALE POR MIL PALAVRAS!!!!!!!!!!

 Não esta ... claro !!!! 

1 comentário:

MA FERREIRA disse...

Cheguei...li...gostei...fiquei

bj

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...