__________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________

Em cada um de nós existe um poema .
Um por escrever ... um escrito que se quer procurado e se mantêm escondido na alma ... no coração.
Ser poeta ... não é escrever poemas.
É saber descobrir na poesia ... a parte que falta em si, a parte que falta ... nos outros .

Urbano Gonçalo




segunda-feira, 12 de abril de 2010

Excerto do meu romance "Genéve" (3)

Sai do banho e enrolei uma toalha à cinta, não sei porquê mas faço sempre isto apesar de viver sozinho, e poder se quiser andar nu casa fora. Dirigi-me ao quarto e vesti qualquer coisa, como de costume, e  mal o tinha acabado de fazer, tocaram à campainha.
- Sim, quem é?
- Ora sr. João, o vídeo porteiro já não funciona?
- Claro que sim, só perguntei porque daqui não consigo ver se é a Liz Taylor ou a Ava Gardner, só isso!
- Há, há, há, estamos bem dispostos hoje, estou a ver!
D. Ana chegava com pão fresco e leite, que não era em garrafa de vidro como em casa da minha filha em Inglaterra recentemente, e nem tão pouco trazia o jornal, enfim ... "Portuguesismos".
- E então aonde está o sr. Galanteador?
- Está a arrranjar-se, os homens também o fazem, sabia? Não quero desiludir as minhas fãs.
Saí do quarto e fui até à cozinha apressadamente, ela preparava-me um pequeno almoço tardio, enquanto ia abrindo as janelas para casa receber a luz do dia.
-Então, já está decente? - perguntou ela sorrindo.
- Como? ... Há sim, ...já!
- Com a braguilha aberta, e descalço? O que iriam pensar a tal "Ava", e como se chama a outra? ... Há, já sei! "Liz Taylor", não é?
- Ora, elas já sabem como eu sou! - respondi enquanto olhava por mim abaixo, sorrindo para disfarçar o meu  embaraço.

Sem comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...