__________________________________________________________________________________________ __________________________________________________________________________________________

Em cada um de nós existe um poema .
Um por escrever ... um escrito que se quer procurado ... e se mantêm escondido na alma ... no coração.
Ser poeta ... não é escrever poemas.
É saber descobrir na poesia ...
a parte que falta em si ...
a parte que falta ... nos outros .

Urbano Gonçalo




sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Sirens ...





Ruas fora ...
noite dentro, sigo imune aos meus pensamentos.
Ouvindo apenas ao longe, as sirenes e o seu lamento ...
ouço em mim ... o mesmo lamento, e sei que ... a qualquer momento,
perco-me de mim ...

Sufoco as lágrimas que vagueiam nos meus olhos,
depois ... desoladas abandonam-nos em desprezo.

Lembro vagamente ter sido alguém, ter querido ser alguém, mas ...
no fim ... a criança, o rapaz, a esperança e ... tantos sonhos, tantos sonhos ...
ficaram algures ... pelo caminho.

As sirenes ao longe ... sinto-as tão perto de mim, tão perto da minha alma, do meu coração ... quase as sinto nas minhas mãos.
Tudo em vão ...
sempre um ... senão, sempre ...
a obrigação ...
a premeditação que trava a vida, que a ... mata.

Na verdade ... o som das sirenes vive em mim desde sempre.
Ecoa bem cá dentro ...
bem cá no fundo ... do meu mundo.
Tento esquecê-lo, quero esquecê-lo, amordaçá-lo mas ...

Porque temos sempre outro alguém em nós?!!
Porque tem sempre ele de ser o "pior" de nós ...
porque é ele o mal que não soubemos enterrar ...
que não conseguimos ...

Porque tem ele de nos prender às memórias, aos demónios subconscientes, porque teima ele em nos amordaçar ... sufocar?!!!

Ouço as sirenes ...
sei que ... são para mim.

Este caminho ilusório de todos os dias, não é uma estrada normal de dois sentidos.
É antes uma espécie de ... corredor, com altas paredes laterais, que me "aconchegam" e apertam pelo caminho fechando-se atrás de mim.
Abrem-me e fecham-me portas, mas nunca, nunca me deixam lá entrar ...
apenas me empurram para a frente ... sempre para a frente, livre de opções.

Não quero mais seguir ...
não quero mais ... o que sei ...
não quero mais sentir, ouvir ... as sirenes.
Elas que se calem ... que parem de me perseguir.
Elas ... que se calem ... que se calem.


1 comentário:

Regina Rozenbaum disse...

Tem jeito não! Está perdendo seu tempo e energia em fazê-las silenciarem...
Beijuuss

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...